domingo, 7 de outubro de 2018

O QUE ESPERAR PRO BRASIL EM 2019 DEPOIS DAS ELEIÇÕES QUE ESTÃO ACONTECENDO AGORA? O PAÍS VAI MUDAR E AVANÇAR OU PIORAR MAIS AINDA?

Uma rápida previsão meteorológica do Brasil nos próximos anos a depender claro de quem você ajudar a eleger agora em 2018



Nosso movimento alerta que é a hora de recuperar a ecologia para melhorar a economia e a nossa vida


Fazendo um resumo do que avaliam sites de notícias como o Deutsche Welle (da Alemanha) ou o Carta Capital (do Brasil) e analisando a realidade de hoje já sabemos que a Bomba Fiscal vai estourar  no ano que vem, talvez haja radicalização e violência dependendo de quem se eleger, isso aumentará o impasse na economia também, deverá crescer a necessidade duma nova estrutura política e eleitoral (quem sabe, uma Constituinte) e com certeza ficará cada vez mais urgente uma gestão ambiental sustentável para evitar mais problemas na ecologia, no clima, na saúde, na vida da gente depois que os discursos dos políticos tiverem que ser substituídos por ações, comenta por aqui o ecologista Antônio de Pádua Silva Padinha que edita este blog Folha Verde News, ligado ao movimento ambiental, científico, da cidadania e da não violência.





A bomba fiscal explodirá em 2019 segundo avalia o respeitado site da Alemanha Deutsche Welle: em meio à instabilidade política e crise econômica, Brasil não cumprirá a chamada regra de ouro no ano que vem, apontam economistas


Nosso país está meio que fora de foco


Um cenário de instabilidade da política é uma previsão de um dos sites de notícias mais acessados e críticos no Brasil, o Carta Capital, isso por causa das incertezas sobre qual será o projeto vencedor na eleição presidencial deste ano, o país vai continuar ruralista ou terá uma gestão de desenvolvimento sustentável? Além dessa questão básica, os economistas são unânimes ao afirmar que o Brasil não vai cumprir a chamada regra de ouro em 2019, um fato já admitido, mas pouco debatido, em especial entre a classe política, que parece fora da realidade da população.


A tal regra de ouro é um princípio estabelecido no artigo 167 da Constituição Federal Brasileira e regulamentada pela Lei de Responsabilidade Fiscal, de 1999, em suma, significa que é preciso haver controle sobre os limites de endividamento do governo e, supostamente, pressupõe uma proteção aos investimentos.



 O povo com Deus a tudo supera

 Mudar e avançar as formas de energia...



(Confira a seguir na seção dos comentários aqui no blog algumas opiniões de especialistas como Manuel Pires (FGV), Luiz Gonzaga Belluzzo e o também economista Samuel Pessoa, além de considerações que resumem problemas brasileiros em setores vitais como saúde e ecologia)


O futuro sustentável do Brasil na sua natureza



Fontes: Deutsche Welle - Carta Capital
              folhaverdenews.blogspot.com
          

8 comentários:

  1. "A regra de ouro é que o governo só pode se endividar se for para uso dos recursos em investimento. Com a recessão dos últimos anos, o governo passou a se endividar para pagar despesas correntes. O governo Michel Temer já propôs uma revisão desta situação, mas devido à intervenção federal no Rio de Janeiro, não se pode mexer na Constituição, este é um tema fundamental em 2019, para se evitar a chamada Bomba Fiscal": comentário de Manuel Pires, pesquisador do Instituto Brasileiro de Economia (IBRE), da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

    ResponderExcluir
  2. Logo mais, mais comentários aqui nesta seção, também opiniões e mensagens, você pode colocar aqui sua visão ou então se for o caso mandar um e-mail para a redação deste blog que aí a gente posta para você, mande para navepad@netsite.com.br

    ResponderExcluir
  3. Vídeos, material de informação, fotos, sugestão de matérias, você pode também enviar diretamente pro e-mail do editor de conteúdo deste blog padinhafranca603@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. "Considero oportuno discutir um fato, lembrado com uma das ilustrações nesta página, nosso povo está ficando sem Deus, em meio a essa violência da realidade": comentário de Júlia dos Santos Oliveira, de São Paulo, produtora de arte e de cultura alternativa, que nos enviou ilustrações, a gente agradece, já usamos uma e vamos divulgar outras, OK? Abraços e paz aí.

    ResponderExcluir
  5. Logo mais, mais comentários, aguarde nossa próxima edição desta seção, participe do debate e venha conferir depois, aqui.

    ResponderExcluir
  6. "Falando em termos de economia, O fato é que o governo federal enviou em agosto o Orçamento Geral da União ao Congresso, e nele deve constar a previsão do déficit. Para que o Presidente da República que for eleito não ser acusado de crime de responsabilidade, deve pedir uma espécie de "licença temporária" para descumprir a tal regra de ouro na área fiscal": comentário de Luiz Gonzaga Belluzzo, economista, consultor, sendo ouvido por empresários e por políticos, palestrante em todo o país.

    ResponderExcluir
  7. "Vi uma senhora encurvada, de guarda chuva, fazendo o maior esforço para ir votar a pé, os políticos deveriam ver isso e se conscientizarem do amor da população pelo nosso país e assim cuidar dos interesses públicos": comentário de Roseli Maria Figueiredo, de Patrocínio Paulista (SP), professora na rede estadual.

    ResponderExcluir
  8. "O primeiro turno das eleições foi violento, alimentado por uma polarização. Durante as eleições do primeiro turno, tivemos o assassinato da vereadora Marielle, tentativa de morte nas caravanas do presidente Lula, o atentado ao candidato Bolsonaro. O Brasil não pode ir pelo caminho da violência política como acontece na Venezuela. Nós temos que combater tudo o que ameaça a democracia brasileira, a estabilidade econômica, social e política. Minhas preocupação tem sido a de apresentar propostas para resolver o que é preciso no Brasil": comentário de Marina Silva, ao votar hoje, em Rio Branco, no Acre.

    ResponderExcluir

Translation

translation